Plano Diretor de Porto Murtinho ouve a população da Aldeia Alves de Barros

Postado por: Jeremias Sobrinho Sobrinho

Um Plano Diretor é o instrumento básico da política de desenvolvimento do Município. Nesse sentido a Prefeitura Municipal de Porto Murtinho com apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional  – MDR e Ministério das Relações Exteriores -MEX, vem desenvolvendo uma série de ações visando a elaboração da proposta de  Plano Diretor para a cidade.

Este trabalho vem sendo desenvolvido tecnicamente por um grupo de Pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS e a Universidade Católica Dom Bosco- UCDB. A coordenação Geral é da equipe do Programa Escola de Conselhos CEE/PROECE e a administração  dos recursos repassados

pelo MDR esta a cargo da Fundação de Apoio a Pesquisa Ensino e Cultura – FAPEC, contratada pela UFMS para esse trabalho.

A principal finalidade do plano é orientar a atuação do poder público e da iniciativa privada na construção dos espaços urbano e rural na oferta dos serviços públicos essenciais, visando assegurar melhores condições de vida para a população. Não existe Plano Diretor sem a participação efetiva dos cidadãos da cidade, nesse sentido  uma série de encontro s com a comunidade murtinhense foram programados, mas, impedidos de serem realizados em razão da Pandemia da COVID-19.

Como forma de adiantar o processo de leitura da comunidade, no dia 26 de novembro, sob a orientação do Professor Antônio Hilário Urquiza, a coordenação de campo do Professor Leandro Sauer e orientação local da Pesquisadora Viviane Luiza da Silva, colaboração dos alunos bolsistas Laura Teles Fernandes, Lívia Elena Cunha Laura e Luiz Augusto Lucas da Silva, foi realizada uma leitura comunitária com a população da Aldeia Alves de Barros. A Aldeia está há mais de 340 km distante da sede do município, porém, muito próximos a sede dos municípios de Bodoquena e Miranda.

Lá foram aplicados 80 questionários preparados especialmente para essa população. O instrumento de coleta de dados foi elaborado, testado e validado previamente e se caracteriza apenas para os moradores das Aldeia Indígenas, em especial por estarem muito distantes da sede do município. O trabalho teve apoio ainda de bolsista vinculados a outros projetos coordenados pelo professor Hilário, Andréa Lúcia Cavararo Rodrigues e Laura Luiza de Mendonça.

Luiz Augusto Lucas da Silva, auxiliar na pesquisa e aluno do curso de Graduação em Turismo na UFMS, comenta: “os moradores da aldeia ficaram muito entusiasmados com a possibilidade criada, eles dizem que a rota vai contribuir muito no sentido de trazer movimentação econômica, principalmente com a possível circulação de turistas, além de conhecer a cultura local, os visitantes poderão comprar o artesanato deles”

Nos próximos dias 10 e 11 de dezembro outra equipe visitará a Aldeia São João, situada no território murtinhense porém muito próxima da cidade de Bonito.

Para garantir a mesma participação dos moradores da sede do município, a equipe das Universidades produziu uma versão eletrônica do questionário para ser respondido por todos os cidadãos da cidade.  Desde o dia 27 de novembro último as pessoas podem opinar sobre sua visão do município. Uma forma direta de fazê-lo é acessando o link abaixo:

https://forms.gle/NqATFSmMqv8kVMLPA

Ao clicar nesse link, de maneira rápida e com muita facilidade, o morador poderá expressar sua opinião sobre o município, colocando sua visão de como ele se encontra e, como deseja que ele seja projeta a organização para os  próximos anos, levando em conta o seu  iminente crescimento com a chegada dos Portos, da Rota Bioceânica e de outros empreendimentos. A meta é ter cerca de 400 pessoas respondendo as questões.  Até essa sexta feira,  4 de dezembro , 275 munícipes acessaram e responderam o formulário.

Edição Jornalista Joana Ribas Bernardes Lima (Doutoranda Fac Fernando Pessoa -PT)

Ouça depoimentos de Lideranças Locais

Compartilhe:
Veja também